saiba mais continuar O site da C-Food faz uso de Cookies de modo a que possa ter a melhor experiência de utilização de todas as suas funcionalidades, não recolhendo informação pessoal. Ao continuar está a aceitar a política de cookies.

A C-Food

A Ria de Aveiro detém condições físicas e biológicas de excelência para a prática da Aquicultura. Com mais de 47 quilómetros de extensão, a ria desdobra-se em quatro grandes canais, que se ramificam em esteiros, que circundam inúmeras ilhas e ilhotas.

Estas ilhas e ilhotas, que outrora foram utilizadas na produção de sal, têm vindo a ser reconvertidas nas últimas décadas em unidades de produção aquícolas, e é numa destas ilhas, que a C-Food tem instalada a sua unidade de produção de bivalves.

Recorrendo a um processo inovador, a C-Food dedica-se à pré-engorda e engorda de amêijoa portuguesa, das espécies autóctones amêijoa-boa (Ruditapes decussatus) e amêijoa-macha (Venerupis corrugata). Os bivalves, para além do alimento que obtêm naturalmente da Ria, um ecossistema fértil em fitoplâncton, obtém um reforço alimentar através de métodos internos de produção desse fitoplâncton recorrendo para tal a avançada tecnologia laboratorial.

Este processo pioneiro permite-nos fornecer ao mercado, uma amêijoa portuguesa de extraordinária qualidade.

O bivalve mais apreciado do mercado!

foto de um tronco com uma corda

Espécies

foto de 3 amêijoas

Amêijoa Boa
(Ruditapes decussatus)

A sua concha relativamente fina em comparação com outras espécies de amêijoas, caracteriza-se por ter as estrias radiais e longitudinais bem marcadas, as quais desenham um quadriculado patente.

foto de 3 amêijoas

Amêijoa Macha
(Venerupis corrugata)

A sua concha oval alongada e um pouco frágil possui estrias radiais concêntricas, muito finas e irregulares, mais marcados na parte posterior. Os seus estádios de crescimentos são bem definidos e claros.

ilustração com uma seta para cima